{ background: black }

terça-feira, dezembro 14, 2004

Feist - Let It Die (2004)

 pelO Puto 


Um disco destes causa admiração. A julgar pelas companhias da menina Leslie Feist - Peaches, Gonzalez, Broken Social Scene, entre outros -, não se imaginaria esta obra-prima. Não que os mencionados não mereçam crédito, mas o seu horizonte musical é distante daquelas latitudes. Feist serve-se da sua guitarra acústica, dos teclados, da electrónica e, last but not least, da sua voz para criar temas quentes, não como praias tropicais, mas como lareiras no Inverno. É a sua voz o fio condutor em todo o registo, enquanto a instrumentação bebe na bossa nova ("Gatekeeper", "Leisure Suite"), deambula na folk mutante ("Mushaboom", "Lonely Lonely"), recupera ritmos do disco-sound ("Inside Out"), apalpa o jazz ("Tout Doucement"), avança descomprometidamente na pop ("One Evening") ou entoa gospels sobre terrenos indie ("When I Was A Young Girl"). Nada falha no disco. A voz é delicada mas segura, a execução é simples mas harmoniosa, a composição é sábia. Ainda tem tempo para interpretar, à sua maneira, três temas de outros autores (Ron Sexsmith, Bee Gees e Blossom Dearie), que encaixam perfeitamente na lógica do trabalho.
Para além de se deixar ouvir apaixonadamente, ainda nos consegue (por vezes) pôr a dançar.
http://feistmusic.artistes.universalmusic.fr/

1 Comments:

Blogger Harry_Madox disse...

Grande critica!

"temas quentes, não como praias tropicais, mas como lareiras no Inverno"

15/12/04 3:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home