{ background: black }

terça-feira, janeiro 31, 2006

Flexitones - Joyrider (2005)

 pelO Puto 



Ouvindo parte do álbum de estreia dos Flexitones um nome vem-nos à cabeça: Propellerheads. Não é de estranhar, pois metade da dupla é Will White, senhor responsável pela bateria daqueles. O outro membro é Merv Pepper dos Eat Static. Porém aqui reside muito mais que o moribundo (se é que já não morreu) big beat. "Para além" talvez seja a expressão mais apropriada.
O primeiro tema inspira-se no jazz mas logo a seguir é-nos servido um que está próximo das batidas musculadas de "Decksanddrumsandrockandroll". A partir daí é um desfile rico em samples cinematográficos e televisivos, sons criteriosamente seleccionados, scratches, melodias irresistíveis, algumas vozes doces, tudo cuidadosamente articulado, com felizes incursões no jazz, no lounge (sem ser daquele chatinho do café não-sei-das-quantas), na música latina, no dub, no hip-hop e nas bandas sonoras (como não podia deixar de ser). Largo espectro, portanto.
Se os Propellerheads ainda existissem, talvez fosse este um dos melhores caminhos que poderiam ter seguido.
Sítio da editora Twisted
Amostras: Drop of a dime | Cafe Spring | Transpant My Head

6 Comments:

Blogger Extravaganza disse...

A capa do disco faz lembrar os 3 Duques ou algo semelhante...

31/1/06 9:48 da manhã  
Blogger membio disse...

hummm, nice :) Parece que o big beat continua a dar alguns trunfos ...

31/1/06 3:29 da tarde  
Blogger Extravaganza disse...

despistada, esqueci-me de dizer que gostei das amostras! :)

31/1/06 9:48 da tarde  
Anonymous Nel disse...

E agora a adenda técnica ... já não fazia uma destas desde o último álbum do Isoléé...
Este álbum é uma estranha mescla de breaks (big beat included) com um certo elemento psydub e até chill, muitos samples de big bands levam-nos para um universo muito James Bond, imagens da Fantasy Island ou outros imaginários associados, sem deixarem de ser algo dançáveis, as faixas mais calmas são povoadas por samples e truques muito comuns no chillout (subgénero psicadélico downtempo). Para quem se quiser aventurar por territórios próximos e (na minha arrogante opinião) fantásticos das musicas dançáveis deixo apenas um nome, do projecto mais reconhecido de Simon Posford, patrão da editora Twisted... Shpongl

1/2/06 8:03 da tarde  
Anonymous nel disse...

Ai Ai ... não é Shpongl é Shpongle ...

1/2/06 8:05 da tarde  
Blogger O Rapaz Nódoa disse...

...já não temos propellerheads porque já não fazia sentido, "Decksanddrumsandrockandroll" (um dos discos mais conseguidos da história da música!?)não podia, nem devia ter sucessor... Quanto aos Flexitones, Joyrder é um álbum recomendavel, mas longe de ser obra-prima!

4/2/06 3:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home