{ background: black }

quarta-feira, agosto 01, 2007

Interpol - Our Love To Admire (2007)

 pelO Puto 



Em finais de 2004 escrevi sobre “Antics”, e o tom de desilusão dominava a minha resenha. Após alguns meses e audições despreconceituosas, aprendi a gostar mais do disco, pelo que aquela apreciação não traduz por completo a minha opinião presente. Será que o mesmo acontecerá em relação a “Our Love To Admire”?
O tema de abertura é de tirar o fôlego. Apesar de não ser, de modo algum, uma nova fórmula, desde a guitarra inicial que sinto um arrepio na espinha. Belíssimo, repleto de melancolia, revelando uma certa ousadia e destreza técnica e compositiva - a introdução de mais teclados complementa bem as guitarras. Nos primeiros seis temas conseguem manter a qualidade e o apelo a que nos habituaram. Aqui vislumbram-se algumas evoluções (aprenderam a usar mais que 2 ou 3 pedais de distorção e as guitarras estão mais ágeis), pontos de contacto com os trabalhos anteriores (“The Heinrich Manoeuver” é o exemplo mais flagrante) e boas canções que darão potenciais singles (“No I In Threesome” e “Mammoth”, um dos melhores temas do disco). Na segunda metade dá-me a sensação que se arrastam, que se tentam plagiar a si mesmos de uma forma forçada e pretensiosa, resultando, por vezes, em temas enfadonhos que em nada os abona. Não me parece que, em relação a este terceiro álbum, a minha apreciação melhore.
Das opiniões que colhi, poucas são favoráveis, e isso soa-me a karma (confirme-se a pose arrogante da banda). Alguns membros da imprensa atiraram-se ao disco como os leões ao antílope na capa, o que acho exagerado, mas recomendo aos nova-iorquinos que se cuidem. Seria o novo look do Carlos D um prenúncio?
Sítio oficial dos Interpol
Interpol no MySpace
Videoclip de "The Heinrich Maneuver"
Amostras: Pioneer To The Falls | No I In Threesome | Mammoth

18 Comments:

Blogger Shumway disse...

Curiosamente como já disse hoje ao Kraak, ao ouvir o disco nota-se falta de criatividade, e isso é evidente ao escutamos o "Turn on the Bright Lights" (o meu favorito)

1/8/07 11:31 da manhã  
Blogger O Tipo disse...

Pois, esperemos que o look Killers não contamine ainda mais a música...

1/8/07 12:39 da tarde  
Blogger -MOX- disse...

O disco é quase tão bom quanto "Turn on".

Repare em "Rest my chemistry" e a beleza do final de "Lighthouse" para te animares quanto ao fim do disco. Acho-o irretocável, com exceção de "All fired up", essa sim, fraca. Mas só.

1/8/07 8:45 da tarde  
Blogger gonn1000 disse...

Perfeitamente de acordo em relação ao "Antics", também gosto mais do disco agora do que quando escrevi sobre ele. Este novo também não me tem convencido tanto, mas ainda vou insistir mais porque com os anteriores resultou.

1/8/07 9:24 da tarde  
Blogger Joe disse...

Os Interpol não são uma banda que prime pela variedade. Os discos são todos semelhantes entre si, e as canções dentro de cada disco também. Mas para mim são os três excelentes. O TOTBL teve o impacto-surpresa de um primeiro disco, mas tirando isso não acho os outros inferiores em termos de qualidade das composições. Acho este novo disco muito bom, e como sempre, ganha a cada nova audição. E o Heinrich manoeuver é para já o meu single do ano.
Grande abraço e boas férias para ti!

1/8/07 10:37 da tarde  
Blogger joao disse...

na realidade e tudo igual e umas pessoas gostam mais de uns e outras de outros.
acho que mais uma vez este tresanda e a interpol. e isso nao e mau.

2/8/07 8:09 da manhã  
Blogger filipa disse...

l'eau de interpol.

3/8/07 3:56 da manhã  
Blogger O Puto disse...

Shumway, se tomarmos sempre como referência os melhores álbuns, passaríamos a vida a acusar os restantes de falta de criatividade.
Amigo Tipo, esperemos que essas semelhanças se fiquem pelo look do Carlos D.
-Mox-, acho que grande parte das músicas deveriam ser "Fired Up". "irretocável"? Essa palavra existe? ;)
Gonn1000, acho que não vou dar muitas oportunidades ao disco. Tem-me sido muito frequente chegar à faixa 6 e voltar para o início do disco.
Joe, comigo nem o disco nem a paciência tem crescido com as audições. Retribuo o voto de boas férias (eu só devo ir lá para Setembro). Grande abraço!
Joao, acho que aqui o verbo "tresandar" encaixa na perfeição.
Filipa, boa alusão. Com a arrogância e pose que ostentam, não me admira nada que lancem uma linha de roupa e consequente marca de perfume. Já imagino expressões do tipo "Queria o modelo sulista Carlos D, p.f.", "Ai, este fato Daniel Kessler fica-me a matar" ou "Ainda usas o boné Paul Banks 2005? That's so retro!".

3/8/07 10:19 da manhã  
Blogger Jaf disse...

Se está a dar polémica é porque é bom, até o galopim está a fazer sondagens online no sound+vision e o diabo a quatro...

Referiste a melancolia do início, para melancolia recomendo os excelentes Great Lake Swimmers do Tony Dekker que este ano lançaram o “Ongiara”.

Acho o disco dos interpol muito regular e razoável até à rest my chemistry, o resto é para encher chouriços...acho que por exemplo o turn on the bright lights vive mais de picos de intensidade.

Mas não estão a exigir demais dos rapazes? Afinal já vão no terceiro disco potável, o que é mais do que muitos previam...

Sacrifiquem aos deuses da crítica os bravery que têm tantos neurónios como os Good Charlotte com a desvantagem de não terem gajas boas nos vídeos.

O sam’s town tem 1 em 10 do DN, sim, é piroso, mas eu canto-o do principio ao fim. Guilty pleasures não fazem mal a ninguém...

Os discos para mim têm duas categorias:
- os que se compram em cd e se estimam
- e os que ficam esquecidos nos confins do disco duro externo.

Este dos Interpol está no leitor de CD’s. Muito boa capa.

Opinião pessoal.

3/8/07 2:57 da tarde  
Blogger Spaceboy disse...

Só para dizer que a "rest my chemistry" é claramente a melhor do disco e não percebo como ninguém anda a mencioná-la, o que é uma pena.

3/8/07 5:05 da tarde  
Blogger O Puto disse...

Jaf, excelente comentário! Também gosto da capa e das imagens no interior, até porque comprei o CD. Espero que continues a passar por cá.
Spaceboy, "Rest My Chemistry" já foi mencionada pelo -Mox- e por outras pessoas, de certeza. A mim não me cativou, talvez por ficar embebida no meio de outros temas medianos. "Claramente", no caso dos Interpol, não se deveria transformar em "escuramente"? ;)

3/8/07 5:29 da tarde  
Blogger -MOX- disse...

[Irretocável] No português brasileiro é bastante comum. :)

5/8/07 1:50 da manhã  
Blogger huguito disse...

Puto...respeito a tua opinião, e quase sempre estou de acordo contigo, mas desta vez discordo com a parte que dizes que a outra metade do disco é para encher...é a tua opinião, claro!!! Mas eu como já tive oportunidade de comentar neste "excelente Blog", eu acho este album dos "Interpol", excelente, claro... também é a minha opinião.Outra coisa que fico contente é que quando se fala dos "Interpol", no teu blog, há sempre muitos comentários,o que é óptimo!!!Eles sem dúvida são a banda do momento, e já vão no 3º album e todos eles são absolutamente fantásticos!!!
P.S.- já soube que te vais mudar para invicta...boa sorte e grande abraço!!!

6/8/07 12:42 da tarde  
Blogger Kraak/Peixinho disse...

Está tudo dito, Puto! Passar da faixa #6 só mesmo e, na minha opinião pessoal, para "Rest My Chemistry". Neste momento, até o single já me chateia. :Z

A expressão "plagiar a si mesmos" assenta que nem uma luva, LOL.

[Spaceboy: "Rest My Chemistry" foi o tema que andou a rodar lá pelo meu lado quando falei sobre os Interpol e o seu novo álbum]

Hugzz!

7/8/07 4:30 da tarde  
Blogger My_Little_Bedroom disse...

Se quisermos comparar com o passado, é o pior dos três discos ("Antics" é o meu favorito). Com uma gestão adequada de expectativas e pensando que este é apenas um CD dos Interpol isolado, é um bom disco, com distorções e progressões de acordes mais tortuosas e menos imediatas que não é muito bom porque tem faixas a mais. Não é também um dos discos do ano porque as novas linguagens da música electrónica que assomam nestes últimos dois anos fizeram canções e álbuns muito mais "up-tempo".

De qualquer maneira, com a desilusão provocada por alguns lançamentos a ser pouco contrabalançada por surpresas e mais por afirmações em definitivo de outros projectos, o disco dos Interpol cota-se bem pelos 20 ou 30 melhores do ano.

Cheers...

9/8/07 3:15 da tarde  
Blogger Pipiu disse...

... hummmm... gosto... gosto muito deste, erm... novo album dos interpol e de... *cough* ..todas as suas musicas...

/corre e esconde-se debaixo da cama

21/8/07 8:35 da tarde  
Blogger Strumer disse...

Um album abaixo das expectativas (mas não esquecendo que as mesmas estavam muito elevadas para estes rapazes!) falta alguma criatividade e alguns bons singles. ainda ninguém a referiu, mas a "what do you think?" é uma delícia. e está para além da faixa 6;)

24/8/07 1:09 da manhã  
Blogger Strumer disse...

dsc..."who do you think?";)

24/8/07 1:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home