{ background: black }

quarta-feira, abril 06, 2005

Beck - Guero (2005)

 pelO Puto 


Sigo a carreira de Beck desde a sua génese. Lembro-me de ter ouvido o single "Loser", lados B incluídos (obrigado, Paulo do Candal), e de me ter viciado naquela mistura absurda e viciante de folk e hip-hop antes do grande público. A mudança, o cruzamento descomprometido (será mesmo?) entre géneros e o alargamento das fronteiras sempre foram uma constante na sua carreira. O surpreendente álbum de estreia ("Mellow Gold") quebrou as barreiras entre o folk, o rap e o rock psicadélico. Antes de "Odelay" - o álbum brilhante que condensa de forma natural uma disparidade de estilos - editou 2 discos menos expostos que não poderiam ser mais distintos: "Stereopathetic Soul Manure", na sua incursão pelo noise e pelo lo-fi, e "One Foot In The Grave", que primava pelo folk despojado. Depois, em "Mutations", aventurou-se pelas sonoridades acústicas com alguns laivos de psicadelia, e até pela bossa nova. "Midnite Vultures" marca o seu mergulho pelo funk mais ou menos electrónico, com falsettos mais presentes que nunca. Finalmente, volta a surpreender com o murro no estômago que é "Sea Change": belíssimo, emocional, o expoente máximo do seu exercício de songwriting. Tem provado, ao longo destes anos, ser simultaneamente um artista de massas e de culto, construtor de canções e experimentalista nato.
E depois disto tudo, o que mais poderia fazer Beck? Nada menos que um bom álbum, que é o caso de "Guero". É verdade que não inova nem surpreende como alguns dos álbuns anteriores, mas junta-os em intuitivo cozinhado, aprendendo com eles e construindo novas receitas. O registo vocal é mais contido e maduro, mas cada tema tresanda a Beck. A principal evocação é a "Odelay" (muito por culpa das batidas dos Dust Brothers e dos samples), embora os outros álbuns também marquem a sua presença, uma vez que aqui não há exclusividades - não fazia sentido, pois estamos a falar do señor Beck. E a conclusão a que chego é esta: o "som Beck" instituiu-se.
Um álbum-súmula que não desilude os fãs (pronto, talvez desiluda um pouco, uma vez que as expectativas eram grandes), e dá um passo em frente na sua evolução. Mas não um passo de gigante.
http://www.beck.com/

16 Comments:

Anonymous ant lx disse...

sempre e muito Beck!... :-)

abraço

6/4/05 9:55 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Oi Puto!

Acho que o álbum não será tanto de súmula da carreira (como li nalgumas críticas), mas mais de quem está bem na vida (quero dizer que o rapaz anda contente), e assim não arriscou muito e sentou-se na varanda para compôr umas canções. Em suma, podia ser melhor...

Abraço!

6/4/05 12:44 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Já agora, grande, grande álbum é dos Bloc Party!

Abraço!

6/4/05 12:47 da tarde  
Blogger O Puto disse...

"Silent Alarm" é um grande álbum, sim senhor. A ser comentado em breve.

6/4/05 1:21 da tarde  
Blogger Arroz de Estragão disse...

O "Sea Change" é o meu preferido. Mas Beck, Beck, é no palco! É um dos melhores "performers" a que tive o prazer de assistir.

Cumprimentos.

6/4/05 1:34 da tarde  
Blogger O Puto disse...

Realmente, Beck também é um animal de palco. Os concertos dele foram dos melhores que já vi. Fica a esperança de que passe por cá em breve.

6/4/05 1:42 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Digamos que o gajo é o verdadeiro artista!

Não esquecer a bandinha e o DJ Swan!

No entanto, a digressão que ele fez pelo Sea Change foi mais na base do voz e violão (o que não dizer que seja mau).

6/4/05 4:21 da tarde  
Anonymous skizo disse...

concordo contigo. 'guero' assume-se como um bom álbum. porém, na verdade, não creio que sintetize muito ou remate uma carreira. antes, e como disse um dos presentes comentadores, revela um beck descontraído, talvez em demasia, que não se compremete com a bizarria - no melhor dos sentidos - a que sempre habituou os fãs. há fórmulas (suas) que se repetem. acrescente-se que o single que lança o álbum - "e-pro" - não é propriamente a coisinha mais criativa de beck: come-se, mastiga-se, faz balãozinho, mas mais não é do que pastilha elástica.

6/4/05 9:57 da tarde  
Anonymous pinko disse...

Já o vi varias vezes ao vivo e de facto o rapaz em palco porta-se muito bem. Relactivamente ao ultimo album apenas posso dizer que ainda não lhe dei suficiente atenção. Fica pa breve.

7/4/05 10:26 da manhã  
Blogger J. disse...

Este comentário é para agradecer a atenção e o facto de ainda passares no meu blog... A licença continua, mas não implica que evapore da blogosfera!! Portanto, continua com o bom trabalho, que também vou aparecendo... Joel

8/4/05 6:53 da tarde  
Blogger lyric disse...

uhmmm, lá está, não desgostei do álbum, mas também não me cativa por ai além...

Dos génios esperamos sempre mais ;)

8/4/05 7:15 da tarde  
Blogger FDV disse...

beck em modo satisfatório.

prefiro sea change [grande murro, mesmo].

cumprimentos.

9/4/05 4:45 da tarde  
Blogger JGSC disse...

Bem, não sou propriamente grande apreciador de Beck, embora haja alguns singles que goste mt... :)

10/4/05 9:49 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Tal como já tinha dito anteriormente, o Beck não faz discos maus :)
este é um bom álbum mas depois de Sea Change é complicado fazer melhor... ;)
Beck é um artista a 100% capaz de se movimentar nas mais diversas áreas, para além de ser um performer de excelência.
Que o seu regresso a palcos portugueses seja para breve :)

bjcs

becksfan

10/4/05 10:17 da tarde  
Blogger Invisible Girl disse...

Discordo, eu sou fã de Beck e não há maneira de gostar deste Guero.
Este albúm precisa de atenção especial, talvez daqui a um tempo o consiga suportar :)

12/4/05 9:51 da manhã  
Blogger membio disse...

ainda não ouvi, mas Beck é fenomenal, parabéns pelo Blog... é porreiraço!

14/5/05 5:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home