{ background: black }

quarta-feira, agosto 01, 2007

Editors - An End Has A Start (2007)

 pelO Puto 



Os Editors surgiram em 2005 com o aclamado “The Back Room”, um disco belo, musculado e coeso, que congraçava influências dos Joy Division, dos Echo and The Bunnymen, dos The Sound e até dos U2 (sim, aqueles riffs de guitarra por vezes fazem lembrar o The Edge nos inícios de 80). Apesar das comparações que quase os estigmatizaram, nomeadamente com os Interpol, almejaram um grande sucesso no seu país natal e constituem um caso de culto aqui no nosso país e um pouco por todo o lado. Quem os viu ao vivo (não sou um desses felizardos, para já) reforçou essa paixão, uma vez que a honestidade impressa no disco de estreia revalida-se nesse contacto com o público, ao contrário dos seus rivais (?) de Nova Iorque. Pelo menos os Editors não escrevem músicas sobre Birmingham. Menos de dois anos volvidos, chega a prova de fogo para qualquer banda que reuniu aplausos e paixões ao primeiro disco: o seu sucessor.
Ouvindo o disco pela primeira vez, constata-se que os elementos basilares estão lá: as incisivas linhas da guitarra de Chris Urbanowicz, a voz grave e emocional de Tom Smith, a musculada secção rítmica de Russel Leetch e Ed Lay. A isso acresce um tom épico em certas faixas, bem patente, por exemplo, no single de apresentação, e uma densidade pouco presente em “The Back Room”. Apesar deste cunho algo sinfónico assombrar parte do trabalho, não é suficiente para desvalorizar este trabalho. Aqui a probidade ainda prevalece, apesar de ser um disco menos ingénuo e de estar uns furos abaixo do registo de estreia. No entanto, admiro a forma como Tom Smith encara a morte de frente e assume o amor de uma forma tão assertiva. Isso torna ainda mais nobres os temas já por si belos.
Não entendo o paralelo com os Coldplay, uma vez que não imagino os Editors a preencher estádios nem a fazer baladas charoposas que passem na RFM. Seria mais apropriada uma comparação aos Radiohead. Claro que isto não é válido para quem já não gostava deles, que insiste em arrastá-los pela rua e chamar os cães para terminar a tarefa. Digam o que disserem, vou continuar a gostar do ceguinho.
Sítio oficial dos Editors
Editors no MySpace
Videoclip de "Smokers Outside The Hospital Doors"
Amostras: An End Has A Start | Bones | The Racing Rats

15 Comments:

Blogger Wagner Beethoven disse...

É complicado com um disco tão bom , eles não conseguiram superar o anterior, mas este é muito bom também

1/8/07 3:30 da tarde  
Blogger extravaganza disse...

Somos dois.

1/8/07 6:55 da tarde  
Blogger gonn1000 disse...

Postámos sobre o mesmo disco quase ao mesmo tempo... e pelos vistos quase concordamos. Também acho que essa dos Coldplay não encaixa muito, e não percebo a moda recente de enxovalhar tudo o que é (pós)pós-punk, sobretudo quando alguns que o fazem deliravam com as mesmas bandas há um par de anos. Manias...

1/8/07 9:20 da tarde  
Blogger joao disse...

na realidade e tudo igual e umas pessoas gostam mais de uns e outras de outros.
acho que nem os coldplay nem os radiohead se encaixam bem. tresanda e a interpol

2/8/07 8:08 da manhã  
Blogger extravaganza disse...

Acho piada uns putos como os Interpol serem banda de referência para quem quer que seja.

2/8/07 9:57 da manhã  
Blogger O Puto disse...

Independentemente desta polémica, digam lá se o novo disco dos Editors não combina na perfeição com a cromática do blog, hein?

2/8/07 11:21 da manhã  
Blogger huguito disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

6/8/07 12:47 da tarde  
Blogger huguito disse...

Extravaganza, ainda bem que achas piada, a vida é para levar a rir...também deve haver muita gente que acha piada aos teus gostos.
Quanto ao novo album dos "Editors", custa a entrar, mas não chegando á qualidade do 1º, é um bom album.E não, não me pareçe que estejam a imitar quem quer que seja...

6/8/07 12:48 da tarde  
Blogger Kraak/Peixinho disse...

Vir aqui falar dos Editors é uma repetição para mim. Não gosto do álbum e já está arrumado na prateleira. Apesar de alguns aspectos positivos aqui mencionados, acho o álbum mau e obviamente bastante inferior a "The Back Room".

A comparação com os Coldplay ou mesmo com os Radiohead é válida. Eu até faria comparações a outros grupos mais FM-Friendly.

Quem ouve pela 1ª vez Editors ou quem não deu a devida importância há 2 anos atrás, até lhe pode achar piada. Os fãs e os que gostam do álbum que me desculpem, mas acho que o mundo musical é mesmo feito de opiniões e temos que saber respeitá-las.

Pior que o álbum dos Editors, só mesmo Bunny Rabbit.

Hugzz!

7/8/07 4:42 da tarde  
Blogger kimikkal disse...

Serei o único a lembrar-me do David Fonseca depois de ouvir estes rapazes?!?!?

7/8/07 4:58 da tarde  
Blogger filipa disse...

eu acho este disco uma bela merda. (desculpem ser tao directa, mas e' apenas a verdade).
nao gosto, nao me puxa sequer para o ouvir todo. de todo.
e quando ouco os singles na radar nem sequer me chego a entusiasmar (mesmo que pense para mim propria, vamos la a ver se e desta).
extravaganza, miuda, cada um tem as suas bandas de eleicao e tambem de referencia. gostos sao gostos e nao se discutem. eu por acaso tambem acho que os interpol sao uma banda de referencia. sao bons e tem bons (3) discos. e o facto e' que ha imensas outras bandas na esteira deles. isso o que e'? uma banda de referencia. correcto?
eu sou da opiniao do joao - na realidade e tudo igual e umas pessoas gostam mais de uns e outras de outros.
cumprimentos a todos.
oucam tambem o mar, uma excelente banda sonora de fundo para qualquer ocasiao, ainda por cima altamente terapeutica e calmante!

11/8/07 3:47 da tarde  
Blogger Strumer disse...

um album muitos furos abaixo do anterior registo. Não surpreende e não entusiasma...enfim, esperava bem melhor...


abraço

24/8/07 1:04 da manhã  
Blogger Vernissage disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

1/9/07 2:27 da tarde  
Blogger Vernissage disse...

Gostava de agarrar numa expressão do Krakk "Quem ouve pela 1ª vez Editors ou quem não deu a devida importância há 2 anos atrás, até lhe pode achar piada.", acho que são frases como estas que descrevem o ouvinte de música da actualidade (peço desculpa Krakk, não tenho nada contra ti e com certeza deves ter um bom gosto musical a julgar pelo postado no teu blog)! Não compreendo (eu sei que cada um tem a sua opinião e contra isso nada posso fazer) que alguém tenha ligado/gostado do primeiro álbum dos Editors e não goste deste, a sonoridade é idêntica e até porque este é significativamente melhor! Será por causa dos Editors já não estarem na moda!? É de lembrar que os álbuns dos Strokes, dos Arcade Fire ou dos Bloc Party têm praticamente a mesma sonoridade actualmente que tinham no primeiro álbum.
Os Editors não são a minha banda de eleição, manifesto-me apenas por detestar o modo como se ouve música actualmente e pelo que os media fazem a mentes mais fracas!
Gostaria ainda se me permitem, agarrar na expressão "Mais do Mesmo", muito em voga nos dias que correm e tentar compreender se “Mais do Mesmo” é Bom ou é Mau!?
Será que o próximo álbum de cada grupo terá que ser assim tão diferente do anterior!?, levando hipoteticamente por exemplo uns Arcade Fire a ter que fazer Techno, os Strokes a ter que fazer Hip Hop, os Bloc Party a ter que fazer Death Metal e os EDITORS a ter que fazer “Corridinhos”, apenas pela quase obrigação de se ter que fazer algo diferente, mesmo que aquilo que fazem seja de qualidade!?
Se o critico musical tem a tarefa de elaborar uma critica depois de ouvir determinado álbum e, caso o ouça na íntegra e com alguma atenção, não conseguir separar o facto de o ter que analisar profissionalmente ou seja como crítico, com o seu gosto pessoal, estará a prestar um mau serviço, deveria portanto a meu ver, criticar apenas as coisas que gosta, para que dessa forma tudo fosse muito mais transparente/imparcial!

1/9/07 2:30 da tarde  
Blogger O Tipo disse...

o álbum dos editors não é mais fraco por ser mais do mesmo (o que até poderia ser bom), o problema é que quiseram criar um som mais grandiloquente e saiu isto...tal como aconteceu aos Interpol. Acho que um bom contraponto a estes 2 é o álbum dos National, mais consistentes do que no Alligator, mas conseguindo pôr mais elementos sem soar farçola, conseguindo ser melhor que o Alligator (o que para mim era difícil...).

4/9/07 10:16 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home