{ background: black }

terça-feira, dezembro 13, 2005

The Cloud Room - The Cloud Room (2005)

 pelO Puto 


Não há dúvida que "Hey Now Now" é uma das músicas do ano. Um tema em que David Bowie se confunde com Joy Division, com um apelo irresistível garantido pela ubiquidade de um refrão suculento. Mas consegue o resto do álbum aguentar a pedalada do arranque?
Naturalmente incluidos no caldeirão neo-pós-punk, conseguem fazer muito bem a ponte entre os extremos, adicionando em muitos dos temas a melancolia dos Interpol com o hedonismo dançante dos Franz Ferdinand, mas nunca superando nenhum dos dois. No entanto vislumbram-se alguns rasgos de estilo nestas canções bipolares, garantidos pelo seu vocalista e pela guitarra que quer chorar por vezes em vez de se juntar à festa. Mas receio que, caso o álbum durasse mais que os trinta e poucos minutos, se esgotariam os recursos e a monotonia tomaria conta do ouvido. Ainda assim, corre o risco de ser um disco viciante.
http://www.thecloudroom.com/
Amostras: Hey Now Now | Blackout! | Beautiful Mess

6 Comments:

Blogger Invisible Girl disse...

Gostei da parte "correr o risco de ser um disco viciante". Não conheço, mas este não passará de hoje. Obrigada pela dica :)

13/12/05 2:21 da tarde  
Blogger playlist disse...

Depois de ouvir o single fui,rapidamente,ouvir o disco com enormes expectativas,gostei,mas não foi aquilo que estava à espera.O disco não aguenta a pedalada do single,com a excepção do tema "Beautiful mess".Não deixa de ser um disco a ouvir,isso é que não!

13/12/05 2:28 da tarde  
Blogger dedos-bionicos disse...

gostei do album, mas na minha opinião o resto não consegue aguentar a pedalada do arranque, a "Hey Now Now" é realmente viciante o resto nem por isso, mas ainda assim foi um dos discos que adquiri este ano....

13/12/05 4:55 da tarde  
Blogger Kraak/Peixinho disse...

Acho o CD muito equilibrado e foi também outra das revelações viciantes em 2005. Na minha opinião, penso que o CD consegue agarrar o ouvinte (com uma faixa ou outra menos interessante), contrariamente ao último dos Ladytron que para mim, este sim, perde a pedalada a medida que as faixas se sucedem.

Hugzz

14/12/05 12:07 da tarde  
Blogger The Boy with the thorn in his side disse...

O "Hey Now Now", e o "Waterfall", as duas primeiras músicas, são as melhores e antevêm um álbum promissor! Mas depois não acontece a máxima que diz que "o todo é mais que a soma das partes"! Bons pormenores, muita vontade, mas não acho que haja a fluidez necessária na maioria das suas músicas! Tem quebras de dinâmica muito denunciadas e bruscas, que roubam algum interesse às músicas, coisa que, por exemplo, os Arcade Fire são exímios, que é nunca deixar as músicas morrer! Percebo o que queres dizer quando dizes que se o álbum durasse mais poderia tornar-se monótono! Eu concordo com essa análise! É um bom álbum de estreia de uma banda que se amadurecer mais, poderá fazer coisas muito boas no futuro!

14/12/05 8:48 da tarde  
Blogger O Astronauta disse...

Viciante, sem dúvida! Fico contente que este disco também te tenha conquistado, Puto! Por razões óbvias...eh eh...
Abraços

15/12/05 6:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home