{ background: black }

sexta-feira, setembro 08, 2006

The Knife – Silent Shout (2006)

 pelO Puto 



“Music is Math”, já diziam os Boards of Canada. E aqui esta expressão assenta como uma luva. Esta dupla de irmãos suecos trata os sons com um preciosismo incrível, controlando as máquinas de tal forma que os sintomas sugerem o inverso, ou seja, parece que as máquinas ganham vida própria.
Só ouvi falar dos The Knife a partir do tema que Karin vocaliza no último disco dos Röyksopp (por sinal um dos melhores). Dona de uma voz invulgar (em bruto ou com tratamentos sobrepostos, que resultam extremamente bem) e segura, com uma pronúncia indisfarçada, impressa em vários registos (chega a roçar a folk escandinava contemporânea) e inflexões, encontra nestas paisagens electrónicas o seu habitat natural. Sonoridades complexas, negras, misteriosas, que atravessam várias décadas de música electrónica, dos Kraftwerk aos Underworld, da synth pop ao ambient techno, do electro ao breakbeat, culminando num resultado recheado de belas canções pouco convencionais, com letras insólitas, no mínimo. Já os acusaram de gélidos e calculistas, mas quantos de nós não conhecem a historinha do robot que ganhou alma? Soa tudo perfeito porque talvez seja... perfeito?
Sítio oficial dos The Knife
The Knife no MySpace
Amostras: Neverland | Marble House | Forest Families
Vídeos: Silent Shout | Marble House | We Share Our Mother's Health

19 Comments:

Blogger membio disse...

estou para ouvir este album á bastante tempo, espero q seja porreiro...

8/9/06 3:40 da manhã  
Blogger gonn1000 disse...

Sou dos tais que os acha gélidos e calculistas, mas reconheço que é um bom disco.

8/9/06 8:49 da manhã  
Blogger truman disse...

Mais uma banda a descobrir...obrigado!

8/9/06 9:33 da manhã  
Blogger Spaceboy disse...

Sem dúvida que é um bom disco, sobre o qual já falei no meu blog. Perfeito não o acho, mas é um bom disco, lá isso é.

8/9/06 11:34 da manhã  
Blogger @n@bel@ disse...

Excelente versão de "Heartbeats"

8/9/06 1:35 da tarde  
Blogger filipa disse...

sim, se nao perfeito, quase quase la. muito bom.

8/9/06 5:02 da tarde  
Blogger El Puto disse...

Ando mesmo contente com o puto, aqui há uns meses coloquei duas musicas deles no meu blog e quase ninguém gostou do disco. Mas finalmente vejo que não estava maluco :D

8/9/06 7:29 da tarde  
Blogger joao disse...

the knife the knife e bom mas ai eu ca acho que dos quatro o melhor e o i love you but ive chosen darkness fear is on our side

9/9/06 12:39 da manhã  
Blogger joao disse...

agora o ultimo disco dos royksopp (por sinal um dos melhores) e que por favor. a musica que a senhora canta, a #1, e a unica que e valida. comeca bem e tem os pianinhos e tal, mas pronto, sao opinioes.
quando ouvi pela primeira vez ate fiquei com a ideia que eles tinham arranjado um arqui-inimigo que falsificou e distribuiu o disco ilegalmente na net.
eu gostava, agora estou completamente desiludido. ate o melody am ja nem me soa tao bem. tinha-lhes tanta esperanca.

9/9/06 12:54 da manhã  
Blogger joao disse...

reparo agora que estou mal e que perdi uma oportunidade de estar bem caladinho.
reparo tambem a posteriori que a voz da senhora e perfeitamente identificavel.
mas pronto, ja fiquei a saber mais uma coisinha.

9/9/06 1:07 da manhã  
Blogger joao disse...

ate e girita a musica. vou reconsiderar o disco. eu sempre achei a #1 boa e tudo.

9/9/06 1:14 da manhã  
Anonymous astropastor disse...

@n@bel@, a "Heartbeats" é mesmo um original dos The Knife. Foi Jose Gonzalez quem fez a cover.

9/9/06 6:19 da tarde  
Blogger filipa disse...

os maravilhosos i love you but i've chosen darkness estao a chegar aos ouvidos do mundo!
sao bons! e sao do texas! oucam que nao se arrependam. digo eu ;)

10/9/06 6:22 da tarde  
Blogger @n@bel@ disse...

astropastor - pois por acaso não sabia disso obrigado pela informação

11/9/06 1:45 da tarde  
Blogger O Rapaz Nódoa disse...

é totalmente gótico este cd... sem dúvida uma boa descoberta. Tomei conhecimento desta banda precisamente pelo José Gonzalez e pela página deste no MySpace, que por sinal referencia outras boas bandas suecas a conhecer...

11/9/06 3:14 da tarde  
Anonymous rai disse...

Para mim é um dos albuns de 2006...é bom ver mais alguém a gostar dele...aliás, tens um (bom) gosto eclético e selectivo.
abraço!
r

12/9/06 12:08 da tarde  
Blogger El Mono disse...

Moving Like a Pen é do melhor!

15/9/06 2:39 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Mas serei o único anormal a achar estes tipos de um mau gosto bárbaro? Meus amigos, isto soa-me a carrinhos de choque com camadas horrorosas de pitchshifting na voz para dar um arzinho de atmosfera pós-lynch. A instrumentalização é do mais básico a roçar o euro-dance digno de uma qualquer colectânea de verão para tunning. Pessoalmente, é o fenómeno incompreendido mais piroso do ano. Gótico? Ahaha. A mim parece-me EBM (leia-se rótulo insultuoso).

17/9/06 1:22 da tarde  
Blogger O Rapaz Nódoa disse...

Curioso que a minha primeira impressão foi essa... O álbum ganha consistência no seu conjunto, tem apenas uma faixa menos conseguida. Uma pequena visita ao All Music faz-te perceber o gótico, a tundra, do Silent Shout.

17/9/06 10:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home