{ background: black }

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Depeche Mode - Playing The Angel (2005)

 pelO Puto 


Não tenho dúvidas que estes senhores são uns mestres. Após se instalarem numa curva descendente a partir de "Violator", toda a gente julgava que alguns discípulos (e são muitos) iriam tomar o seu lugar. Mas este disco parece que surgiu para mostrar quem é que manda aqui.
Nunca foram uma banda forte em álbuns (tal como, por exemplo, com os New Order), mas compuseram algumas canções que representam o que de melhor se fez na pop de travo melancólico nos últimos 25 anos. Talvez por isso se perdoem algumas vacilações ao longo dos álbuns, e é com essa predisposição que a audição do novo disco se fez. Mas sou surpreendido, pois o gradiente atinge valores baixos.
A primeira metade do disco é excelente, com um início sujo ("A Pain That I'm Used To"), autoinspirado na fase da década de 90. A energia não pára nas duas faixas seguintes, e surpreende a composição de David Gahan, que co-escreveu "Suffer Well" (sem a mão de Martin Gore), sendo um potencial single tipicamente Depeche Mode. É nítida a utilização progressivamente maior da electrónica ao longo do alinhamento, demonstrando um know-how inabalável do som que instituiram. A harmonia reina e todos os elementos musicais entrosam na perfeição, demonstrando como anos de experiência, neste caso, servem para criar melhor ao invés de se vampirizarem.
A segunda metade, mais intimista, talvez não seja tão cativante, pois a intensidade esmorece. Parecendo mais um meio-disco de Martin Gore a solo, apesar da composição de Gahan em "I Want It All" e "Nothing's Impossible", não foge completamente à percepção geral, uma vez que existe um sentido de melodia e ordenamento que está presente em todo o registo. Inclui apenas uma ilha de leve apelo pop ("Lilian") e termina com um épico hipnótico.
Apesar dos 25 anos de carreira, rejuvenesceram com maturidade. E é inevitável dizer-se que estão aí para as curvas.
http://www.depechemode.com/
Amostras: A Pain That I'm Used To | Suffer Well | Lilian

9 Comments:

Blogger gonn1000 disse...

Acho que é um bom álbum, mas não muito melhor do que o mediano "Exciter". Quanto a mim, o último grande disco da banda continua a ser "Ultra", embora "Playing the Angel" tenha 2 ou 3 momentos de alto nível ("Lillian", "John the Revelator", "Nothing's Impossible"). Pena o excesso de cançõezinhas midtempo como "Suffer Well" ou "Precious"...

21/12/05 9:38 da manhã  
Blogger M.M. disse...

Aproveito para te dizer que os Depeche Mode ao vivo estão melhores do que nunca. Um bom amigo meu viu-os há cerca de 1 mês no Texas e adorou.

Bjs,

M.M.

21/12/05 10:10 da manhã  
Blogger O Tipo disse...

É pena a 2ª parte do álbum não corresponder à intensidade da 1ª...mesmo assim é uma excelente recuperação, face aos álbuns anteriores.

22/12/05 9:21 da manhã  
Blogger The Boy with the thorn in his side disse...

Olha que nem acho o álbum tão heterogénio como isso! De resto, concordo com quase tudo que escreveste! A minha crítica está no link http://brightnights.blogspot.com/2005/10/um-regresso-esperado.html

22/12/05 11:52 da manhã  
Blogger Spaceboy disse...

É um regresso em grande, depois dum "Exciter" muito fracote. Os Depeche Mode mostraram que ainda estão aí para durar. Tenho pena de não ir ao concerto...fica para a próxima...

22/12/05 12:48 da tarde  
Anonymous rjm disse...

Para mim, a maior supresa deste álbum são as composições do David Gahan; é pena ele já não ter começado a escrever há mais tempo. Ah, e "John The Revelator" é uma óptima supresa também.
Continuo a ter uma certa alergia à interpretação vocal do Gore, mas é problema meu :).

22/12/05 1:16 da tarde  
Blogger O Astronauta disse...

Amigo gonn1000, "Suffer Well", uma cançãozinha "midtempo"!??!?! Oh diacho, agora fiquei confuso...O "Precious" ainda vá, agora o "Suffer Well" midtempo???!!! E querem ver que o "Precious" não é uma excelente canção só porque tem uma melodia pop muito mais vincada que as outras??? Desculpem, mas há coisas que me fazem confusão...

23/12/05 12:38 da manhã  
Blogger membio disse...

apesar de reconhecer que os Depeche Mode têm vindo a melhorar ao longo dos anos, infelizmente a sua sonoridade ainda não me cativou o suficiente! Pode ser que seja da próxima vez! Mas concordo que este seja um dos melhores albuns lançados até agora...

23/12/05 11:21 da manhã  
Blogger O Tipo disse...

Um dos melhores álbuns lançados até agora depois de uma dolorosa (principalmente para nós que tínhamos de assistir ao desfile de quasi-banalidades) travessia no deserto...enfim, é difícil atingir a fasquia de um Violator...

23/12/05 5:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home